A ENERGIE é uma marca especializada no desenvolvimento, fabrico e comercialização de uma completa e variada gama de produtos e soluções de Água Quente Sanitária (AQS) e de Climatização eficientes.

A ENERGIE dispõe no mercado mundial de uma ampla gama de produtos de energias renováveis, desde sistema solar termodinâmico, bombas de calor para produção de Água Quente Sanitária (AQS) e Climatização.

As nossas soluções pertencem à última geração de energia solar e permitem obter o máximo rendimento com performance solar, poupança imediata e água quente 24horas por dia, estando sempre associadas aos mais elevados padrões de eficiência energética, fiabilidade e inovação.

CONSUMIDORES

PROFISSIONAIS



Energie tem as soluções ideais para

Consumidores

As soluções de energia solar termodinâmica permitem obter o máximo rendimento com performance solar, poupança imediata, água quente 24horas por dia e o maior conforto na sua habitação.

Conheça todas as soluções e produtos Energie para Climatização, Bombas de Calor e Águas Quentes Sanitárias.

Profissionais

A ENERGIE dispõe no mercado mundial de uma ampla gama de produtos de energias renováveis, desde sistema solar termodinâmico, bombas de calor para produção de Água Quente Sanitária (AQS) e climatização que são as soluções ideais para Hotéis, Hospitais, Estabelecimentos Desportivos e Industriais.

Produtos em Destaque

Notícias em Destaque

Notícia EVOTERM COMBI, UM NOVO CONCEITO DE BOMBA DE CALOR NA CLIMATIZAÇÃO E ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS

EVOTERM COMBI, UM NOVO CONCEITO DE BOMBA DE CALOR NA CLIMATIZAÇÃO E ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS

Abril | Maio / 2018
ENERGIE dá mais um importante passo no desenvolvimento tecnológico.

Notícia CASE STUDY ENERGIE – ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS GRANDES VOLUMES

CASE STUDY ENERGIE – ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS GRANDES VOLUMES

Abril | Maio / 2018
ENERGIE Substitui Termoacumulador Elétrico.

Notícia GRANDE PRÉMIO ACADEMIA TEKTÓNICA

GRANDE PRÉMIO ACADEMIA TEKTÓNICA

Abril | Maio / 2018
A ENERGIE foi uma das grandes vencedoras da edição 2018 dos Prémios TEKTÓNICA, ao receber o prémio ACADEMIA TEKTÓNICA, que premiou uma vez mais o trabalho proactivo em prol da formação técnica e profissional.

ETIQUETAGEM ENERGÉTICA e DIRECTIVA ErP, PORQUÊ?

Travar a mudança climática, garantir o abastecimento de energia e aumentar a competitividade industrial são alguns dos desafios mais importantes que a União Europeia tem de enfrentar.

A poupança energética é a melhor forma de os abordar. Com a publicação da diretiva 2009/125/CE sobre a conceção ecológica dos produtos relacionados com o consumo de energia (Diretiva ErP, Energy related Products) e da diretiva 2010/30/CE sobre etiquetagem energética (Labelling Directive), foram estabelecidos os requisitos gerais (válidos para todos os produtos domésticos) para a obtenção de poupanças energéticas num dos sectores que consome mais energia e que mais contamina na União Europeia. A partir das disposições das diretivas anteriores, foram criadas ferramentas legislativas específicas para cada família de produtos: os regulamentos europeus. Os regulamentos indicam como utilizar a etiqueta energética e definem o rendimento energético mínimo que devem ter os novos produtos introduzidos no mercado. Depois de publicados, os regulamentos são de aplicação imediata em todos os países da União Europeia sem distinção, não necessitando de transposição para as regulamentações nacionais. Os produtos para aquecimento e produção de água quente também têm os seus regulamentos sobre ErP e etiquetagem. A etiqueta energética simplifica o processo de escolha do produto mais eficiente.

DIRETIVA DE ECODESIGN (ErP)

A diretiva de Eco design ErP para produtos de aquecimento e de produção de água quente estabelece uns requisitos mínimos de rendimento que todos os aparelhos deverão observar. Os novos requisitos eliminarão do mercado as tecnologias com menor rendimento, e desta forma elevarão o nível de rendimento energético da oferta básica. Além disso, será necessário cumprir os ditos requisitos para poder incluir nos produtos a marca CE, que é imprescindível para a sua comercialização no mercado europeu. A diretiva ErP só será aplicável aos produtos introduzidos no mercado a partir de 26/09/2015. Os produtos adquiridos anteriormente ou que já estiverem nos pontos de venda ou nos armazéns dos distribuidores poderão continuar a ser vendidos e instalados mesmo que não cumpram os novos requisitos. A diretiva ErP será aplicada aos seguintes produtos com uma potência nominal ≤ 400 kW:

AQUECIMENTO / REG. 813/2013

  • CALDEIRAS (A GÁS, ELÉCTRICAS, A GASÓLEO)
  • BOMBAS DE CALOR (A GÁS, ELÉCTRICAS)
  • UNIDADES DE MICROCOGERAÇÃO (com uma potência elétrica máxima <50 kW)

ÁGUA QUENTE / REG. 814/2013

  • ESQUENTADORES CONVENCIONAIS A GÁS/GASÓLEO/ELÉCTRICOS
  • ESQUENTADORES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS (SOLAR/COM BOMBA DE CALOR)
  • DEPÓSITOS DE ÁGUA QUENTE (com uma capacidade ≤ 2000 litros)

PORQUE FORAM ESCOLHIDOS OS PRODUTOS PARA AQUECIMENTO E ÁGUA QUENTE?

O estudo preparatório realizado pela Comissão Europeia3 confirmou que os sistemas domésticos de aquecimento e produção de água quente representam aproximadamente 30% do consumo de energia na Europa. Calculou-se igualmente que, concebendo produtos ecológicos (requisitos mínimos) e fomentando a aquisição pelos utilizadores finais das tecnologias com maiores níveis de eficiência (etiqueta energética), se poderia obter em 2020:

Uma poupança energética anual total equivalente a 56 milhões de toneladas de petróleo. O equivalente a apagar todos os equipamentos de aquecimento e água quente de toda a Península Ibérica.*

O que significaria uma redução de emissões de:

136 Milhões de toneladas de CO2, aproximadamente o que absorveria um bosque do tamanho de quase todo Portugal.*

A partir destas premissas foram criados os regulamentos sobre conceção ecológica e etiquetagem energética de caldeiras, bombas de calor, unidades de microcogeração, esquentadores e depósitos de água quente. A partir de 26 de setembro de 2015, os regulamentos obrigarão estes produtos a cumprir uns requisitos mínimos de eficiência e de etiquetagem.

A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA

 

PRINCÍPIOS BÁSICOS

A diretiva sobre a etiquetagem energética:

  • define a forma e o conteúdo das etiquetas energéticas dos produtos e sistemas para aquecimento e produção/armazenamento de água quente;
  • estabelece as normas para informar os consumidores sobre o rendimento energético dos produtos;
  • define as responsabilidades dos fornecedores e vendedores.

 

A diretiva é aplicável aos produtos introduzidos no mercado a partir de 26/09/2015. Os produtos adquiridos anteriormente ou que já estiverem nos pontos de venda ou nos armazéns dos distribuidores poderão continuar a ser expostos e vendidos mesmo que não estejam etiquetados.

Produtos para AQUECIMENTO com uma potência nominal ≤ 70 kW / Reg. 811/2013

  • CALDEIRAS (A GÁS, ELÉCTRICAS, A GASÓLEO)
  • BOMBAS DE CALOR (A GÁS, ELÉCTRICAS)
  • UNIDADES DE MICROCOGERAÇÃO (com uma potência elétrica máxima <50 kW)

Produtos para a PRODUÇÃO DE ÁGUA QUENTE com uma potência nominal ≤ 70 kW / Reg. 812/2013

  • ESQUENTADORES CONVENCIONAIS A GÁS/A GASÓLEO/ELÉCTRICOS
  • ESQUENTADORES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS (SOLAR/COM BOMBA DE CALOR)
  • DEPÓSITOS DE ÁGUA QUENTE (com uma capacidade ≤ 500 litros)

ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS

 

 

Aquecimento Ambiente

 

 

Etiqueta de Sistema

Nas instalações modernas só é possível conseguir o máximo rendimento energético com combinações de produtos e acessórios (geradores suplementares de calor, dispositivos de termorregulação, coletores solares, etc.) capazes de aproveitar fontes renováveis, responder às variações climáticas e reconhecer os costumes dos utilizadores. Com o objetivo de fomentar instalações deste tipo foi introduzido o conceito de etiqueta de sistema.

Os regulamentos de etiquetagem 811/2013 e 812/2013 estabelecem que todos os aparelhos que devam (ou possam) ser combinados com outros dispositivos predefinidos terão de possuir uma segunda etiqueta (além da etiqueta do produto), e que a documentação técnica, a publicidade e o material promocional terão de indicar o respetivo rendimento. 

O vendedor dos ditos sistemas será o responsável pela definição do rendimento obtido (mediante um algoritmo de cálculo predefinido) e pela transmissão da informação ao seu cliente.

 

Sistema misto AQS

 

 

 

Sistema misto aquecimento ambiente

 

 

QUE RESPONSABILIDADES IMPLICA?

FORNECEDORES

O fornecedor (como responsável pelo produto no mercado) deve introduzir no mercado os seus produtos ou sistemas com:

  • Marcação CE;
  • Uma etiqueta energética de produto (se vender o produto por separado);
  • Uma ficha de produto;
  • Uma etiqueta energética de sistema adicional à etiqueta de produto se vender um sistema de que o produto em questão seja um componente, ou se prever que o produto concreto vendido pode ser posteriormente combinado com um dos dispositivos adicionais previstos;
  • Uma ficha de sistema com as partes relativas ao produto (ou ao sistema vendido) já preenchidas.

 

VENDEDORES

Os vendedores de dispositivos e/ou sistemas são os responsáveis por vender, alugar, oferecer em arrendamento com opção de compra ou expor produtos aos utilizadores finais. Também podem fazer parte deste grupo os canalizadores, instaladores ou projetistas, entre outros. Todos eles têm de garantir que:

  • Todos os produtos possuem a Marcação CE;
  • Os aparelhos ou sistemas expostos apresentam as respetivas etiquetas de forma que sejam claramente visíveis;
  • Mesmo que não esteja previsto que o utilizador final veja o aparelho ou o sistema exposto, ambos são comercializados com a informação relativa à eficiência energética prevista na diretiva;
  • Toda a publicidade ou material promocional técnico de um produto ou sistema indica a sua classe de eficiência energética.

Empresa, Produtos, Associados, Projeto Co-Financiado

c